Todo estudante, durante a graduação, sabe que ingressar no mundo profissional é um passo crucial em sua jornada acadêmica e profissional, afinal, a experiência de estágio é uma das maneiras mais eficazes de descobrir seu perfil profissional e transitar do ambiente educacional para o contexto profissional, proporcionando experiência prática e valiosa em um campo específico.

Contudo, a busca por estágios e encontrar momento certo para começar essa jornada são situações que muitas vezes levantam dúvidas e incertezas. Neste post, exploraremos questões relevantes no universo do estágio, como os tipos de estágio, como eles funcionam, quanto recebem os estagiários, quando os estudantes podem dar esse passo e muito mais. Acompanhe!

Como funciona o estágio na faculdade?

Segundo o art. 1º referente à Lei nº 11.788, instituída em 25 de setembro de 2008, o estágio é uma atividade educativa escolar supervisionada que deve ser desenvolvida em ambientes profissionais. Ele visa a preparação de estudantes de instituições de educação superior, profissional, ensino médio, especial e da modalidade profissional da educação de jovens e adultos para o mercado de trabalho.

No Brasil, existem dois tipos diferentes de estágio instituídos legalmente: o estágio obrigatório e o estágio não obrigatório. Saiba mais sobre como eles funcionam a seguir!

Estágio obrigatório

O estágio obrigatório, como o próprio nome indica, é uma experiência profissional que os estudantes de graduação ou cursos técnicos devem realizar para se formar. É uma parte essencial da grade curricular, sendo avaliado como uma disciplina. Se o aluno não obtiver uma boa nota, pode não conseguir o diploma ou o certificado de conclusão de curso.

Geralmente, essa modalidade de estágio não oferece nenhum tipo de remuneração ou relação trabalhista da pessoa estagiária com a empresa ou instituição em que o estágio obrigatório é realizado. Contudo, a supervisão acadêmica e profissional é essencial para que a atividade seja considerada válida.

Estágio não obrigatório

No estágio não obrigatório, quem se candidata precisa passar por um processo seletivo aplicado pela empresa concedente e, geralmente, não há professores da faculdade encarregados pela supervisão dos estudantes. Nesse caso, a supervisão fica por conta de um profissional especialista da empresa.

Esse tipo de estágio pode ser remunerado ou não, cabendo à empresa definir junto do estagiário a melhor forma para compensar suas atividades, seja por meio de bolsa-auxílio, vale-transporte ou outros benefícios acordados entre as partes.

Quanto tempo de faculdade é preciso para fazer estágio?

Não é necessário esperar muito para buscar seu primeiro estágio. Na verdade, é viável procurar oportunidades em sua área desde o primeiro semestre do curso, mesmo que sejam funções mais genéricas. Dessa forma, o estagiário pode obter seus primeiros contatos profissionais, compreender a dinâmica da profissão e desenvolver novas habilidades.

Pode fazer estágio no começo da faculdade?

Sim, conforme mencionamos anteriormente, é possível fazer estágio no começo da faculdade. É no primeiro estágio, inclusive, que o estagiário descobre quais são as áreas e as profissões mais atrativas para seus objetivos, adquire conhecimentos práticos e a bagagem necessária para exercer a profissão.

É importante lembrar que deixar para procurar estágio apenas no final do curso pode não ser a melhor escolha, já que esse período costuma ser marcado por muitas atividades e pelo trabalho de conclusão de curso, o que pode dificultar o desenvolvimento de novas habilidades.

Quem faz EAD tem que fazer estágio?

Assim como no caso dos cursos presenciais, a exigência de estágio para quem faz EAD varia conforme as diretrizes curriculares estabelecidas pelo Ministério da Educação, sendo adaptada de acordo com cada curso. Alguns cursos EAD incluem estágio obrigatório, enquanto outros oferecem opções de estágio não obrigatório para enriquecer a experiência do aluno.

Caso o curso de formação exija um estágio obrigatório, é possível realizar um estágio adicional não obrigatório antes, durante ou após o período obrigatório, desde que sejam seguidas as normas internas do projeto pedagógico para garantir o cumprimento das horas necessárias e a integralização dos créditos no tempo adequado.

Se a experiência de estágio não for uma exigência do seu curso, ainda é altamente recomendado procurar oportunidades por iniciativa própria, visando enriquecer sua formação profissional.

Descubra: O que é uma vaga de banco de talentos e como funciona?

Existe estágio home office ou híbrido?

Em uma era de transformações tecnológicas, regimes de trabalho híbrido ou home office se tornaram opções viáveis para empresas que buscam conciliar produtividade, bons resultados e bem-estar no dia a dia de seus funcionários. Assim, proporcionando mais privacidade, flexibilidade, conforto e independência aos trabalhadores.

Embora o estágio seja uma experiência essencial para o primeiro contato do(a) estagiário(a) com suas funções e responsabilidades profissionais, ainda é possível obter experiência e expertise nos sistemas de trabalho híbrido e home office. Por isso, muitas empresas passaram a permitir que estagiários(as) realizem suas atividades de forma remota ou intercalem dias presenciais com dias de trabalho em casa.

Quem faz estágio na faculdade recebe salário?

A remuneração de um estágio depende de alguns fatores importantes, como a modalidade do estágio (estágio obrigatório ou estágio não obrigatório), o regime de atuação (presencial, híbrido ou home office), área de atuação, dentre outros.

Diante de um cenário que negligencia recursos às faculdades, as instituições acadêmicas realizam processos seletivos para selecionar uma quantidade específica de estudantes que terão direito à bolsa-auxílio de estágio, ao realizá-lo na universidade. Alguns processos também contam com um excedente de vagas sem remuneração.

Geralmente, a bolsa oferecida pela faculdade contribui com as despesas dos estudantes enquanto adquirem experiência profissional. Além disso, alguns benefícios, como vale-transporte e seguro de vida, podem ser oferecidos pela universidade ou órgãos estaduais e municipais com o objetivo de proporcionar suporte adicional aos estudantes durante o período de estágio.

Gostou desse conteúdo? Então, continue acompanhando posts como este no Blog da Serasa Experian para aprender mais dicas sobre estágios, profissões, plano de carreira, orientação vocacional, como iniciar no universo profissional com confiança e muito mais. Boa leitura e até a próxima!