Fintech semeia tecnologia para colher mais negócios entre campo e cidade.

Alcançar mais produtividade nas safras, expandir as culturas e adotar tecnologias mais sustentáveis são sonhos de muitos agricultores que às vezes são cortados na raiz por causa da falta de crédito.

         André GlezerCEO Agrolend

André Glezer já trabalhava há quase uma década em um fundo de investimento voltado ao agronegócio quando decidiu abrir novas rotas no segmento de financiamento da produção agrícola. Sua ideia era tornar o crédito para o pequeno produtor rural mais ágil, seguro e descomplicado – e, de quebra, adicionar um elemento disruptivo em um mercado tão tradicional: tecnologia de dados, analytics e automação. O alvo era produtores grandes demais para as linhas de crédito públicas e pequenos demais para os bancos privados.

A Agrolend, fintech que concede crédito para que médios e pequenos produtores comprem equipamentos, insumos e serviços no campo, nasceu em dezembro de 2020. E a Serasa Experian estava lá, desde o momento zero da nova empresa, que em menos de três anos já conta com uma carteira de 350 clientes e mais de R$50 milhões destinados ao crédito.

Desafio: criar modelo personalizado e precificar crédito no campo

Dois grandes desafios se apresentavam para a Agrolend na sua ida a mercado: conseguir precificar o crédito oferecido aos seus clientes e mitigar os riscos no momento da concessão. Por isso, buscou a expertise em análise de crédito e gestão de risco da Serasa Experian.

A Agrolend acessou os produtos da Serasa Experian para superar este desafio. Primeiro, com a contratação de um estudo de mercado para ajudar na precificação, a fintech enriqueceu dados de sua base com os da Serasa Experian e cruzou estas com indicadores que levavam em conta variáveis complexas como a previsibilidade de safras, a balança comercial de commodities e as tendências de relacionamento financeiro com o mercado por parte dos produtores rurais. Já com o Serasa Score Agro foi possível definir parâmetros para reduzir o risco de inadimplência e fazer ajustes na política de crédito da empresa.

Assim, pôde rentabilizar melhor o seu modelo de negócios: por meio de uma plataforma digital que conecta distribuidoras de insumos como sementes e defensivos, além de revendas de maquinário e serviços diversos como armazenagem e beneficiamento, a Agrolend chega até o produtor quando ele busca crédito junto a estes parceiros para planejar a sua plantação.

Contar com a agilidade e flexibilidade da Serasa Experian na integração da solução por meio da API foi crucial para ganharmos tração e atingirmos o público que buscávamos: bons produtores com pouco acesso a crédito.

         André GlezerCEO Agrolend

Impacto em números: fique por dentro

0

A faixa média de crédito concedida aos clientes fica entre 20 e 500 mil reais

  • A faixa média de crédito concedida aos clientes fica entre 20 e 500 mil reais
0
clicks:é a jornada digital do produtor para solicitar crédito na plataforma da fintech
clicks:é a jornada digital do produtor para solicitar crédito na plataforma da fintech
0

Cobertura nacional que abraça todas as culturas do agronegócio por meio da rede de parceiros

Cobertura nacional que abraça todas as culturas do agronegócio por meio da rede de parceiros

E como funciona?

Com um cadastro que é preenchido pelo produtor em menos de dois minutos na plataforma da Agrolend disponibilizada pela distribuidora ou revenda parceira, entram em ação as ferramentas para avaliação de risco de crédito e conformidade socioambiental desenvolvidas pela Serasa Experian, especificamente para o agronegócio como Serasa Score Agro.

A solução compila e analisa dados cadastrais, demográficos e de comportamento financeiro do produtor no mercado agrícola para atribuir uma pontuação de 0 a 1.000 que identifica as chances de inadimplência daquele CPF ou CNPJ. Quanto maior a pontuação, menor o risco de oferecer crédito. Ao final, é emitida junto à Agrolenduma CPR com liquidação financeira* pelo produtor, que pode utilizar o crédito concedido para adquirir os insumos ou serviços de que necessita no parceiro comercial.

*Para saber mais sobre títulos do agronegócio, cheque nosso glossário ao final deste post.

Serasa Experian: preparando o terreno para colheita de negócios

O processo de integração das soluções da Serasa Experian à plataforma da Agrolend foi executado por API, permitindo a customização das ferramentas com agilidade e automação de tarefas como o disparo de contratos após todas as verificações e parâmetros da política de crédito.

A parceria com a Serasa Experian nos ajudou a desenvolver uma solução simples e digital, além de ter nos dados confiança para precificar taxas justas para quem busca crédito e rentáveis para quem concede.

         André GlezerCEO Agrolend

Semeando oportunidades para gerar maiores safras de negócios sustentáveis

A Agrolend planeja ampliar a sua carteira de crédito para 500 milhões de reais até o final deste ano e fechar 2023 com R$1 bilhão, expandindo a base de clientes de 350 para 3000 ainda em 2022. Além disso, pretende criar linhas de crédito especiais para agricultores que adotem práticas sustentáveis que possam se traduzir em diferenciais de negócios como a geração de créditos de carbono.

Agro de A a Z:

CPR: A Cédula de Produto Rural permite a produção e comercialização das safras por meio da antecipação de crédito rural. É um título que representa a promessa de entrega futura de um produto agropecuário ou o seu pagamento em dinheiro.