Uma das principais prioridades das empresas neste ano era investir para automatizar a tomada de decisão de crédito. A informação foi apresentada no Relatório Global de Tomada de Decisão 2021 da Experian, que ouviu 2.700 executivos e 9 mil consumidores de 10 países, incluindo o Brasil.

Isso mostra como a tecnologia é importante para o aprimoramento da jornada de crédito do cliente, por isso respondemos a 5 questões sobre a automatização da tomada de decisão.

1 – O que é análise de crédito automatizada?

A análise de crédito indica a capacidade que uma empresa ou pessoa tem de pagar suas dívidas, determinando o risco de crédito ou de inadimplência. Essa avaliação considera fatores qualitativos e quantitativos.

A automatização desse processo é quando se utiliza tecnologias para otimizar os esforços das áreas de crédito e de risco, tornando-o mais eficaz e seguro.

2 – Por que é necessário automatizar a tomada de decisão?

A automatização auxilia a tomada de decisão de diferentes níveis de complexidade: reduz os investimentos operacionais, torna a decisão sobre o crédito mais precisa, diminui riscos da operação, otimiza e padroniza processos.

Se trata de uma alternativa de as empresas se modernizarem para ganhar agilidade e oferecer uma melhor experiência para o cliente final. Com isso, se diminui a atividade manual e se obtém uma visão mais completa de todo o processo.

Conforme a tecnologia evolui e as expectativas do cliente mudam, a automatização também garante que todas as partes do processo de análise de crédito estejam alinhadas.

3 – Como é o processo de automatização?

A automatização da análise de crédito ocorre com a implementação de uma solução para a tomada de decisão na qual é possível gerenciar cada aspecto do processo em um único lugar.

As melhores opções também se integram a sistemas ou aplicativos que o credor já possui para concessão de crédito e combinam dados internos e externos. No mercado, é possível encontrar soluções hosteadas, on premises ou na nuvem.

Por meio de parâmetros, é possível que a empresa credora determine, com base no perfil de seus clientes, para quem decide negar o crédito, qual o motivo desta recusa, para quem decide aprovar e qual o valor a ser concedido.

Geralmente, há flexibilidade e autonomia para parametrizar políticas de crédito e regras de negócios. Existem ferramentas nas quais os próprios clientes conseguem fazer essa configuração, mas há outras em que o fornecedor é quem fica responsável por isso.

Grande parte das ferramentas também disponibiliza relatórios de monitoramento para acompanhar e registrar o histórico de todo o processo de decisão e concessão de crédito.

4- Para que tipos de empresas é recomendada a automação?

Atualmente, instituições de todos os tamanhos estão investindo no processo de automatização da tomada de decisão para conseguir reduzir o risco e aumentar a eficiência. Inclusive, empresas que já contavam com a tecnologia estão agora expandindo a forma como a utilizam para conseguir aumentar o ROI (Retorno Sobre Investimento, em português) e os benefícios.

Existem no mercado diversos tipos de soluções que auxiliam à tomada de decisão de crédito e que atendem a todas as necessidades e portes de empresas. É uma opção para fintechs, indústrias de diferentes segmentos, cooperativas de crédito, instituições de ensino, programas de fidelidade, varejistas entre outros.

Um software que oferece políticas pré-configuradas e está na nuvem, é ideal para empresas de diversos portes, mas há também plataformas altamente customizáveis às necessidades específicas dos clientes.

5 – Que tipos de problemas a automatização de análise de crédito resolve?

O objetivo é resolver os maiores desafios das empresas que concedem crédito. Algumas dores identificadas pela nossa equipe de consultoria de negócios são: redução do tempo de análise, duplicidade de consultas, falta de padronização de processos, solicitação de informações irrelevantes para a avaliação e ainda inexistência de documentação de políticas.

Com um motor de decisão também é possível aumentar a autonomia da área de crédito diminuindo a dependência da equipe de TI.

A automatização ainda pode auxiliar a rotina de PMEs, pois geralmente seus funcionários acabam desenvolvendo muitos papéis e têm que gerenciar diversas atividades relacionadas a crédito. Esses tipos de empresas também necessitam de políticas padronizadas para reduzir riscos e eliminar processos manuais demorados. Ao aumentar a eficiência, elas podem se concentrar na criação de uma experiência personalizada para seus clientes.

As soluções da Serasa Experian podem auxiliar as empresas por meio da combinação de diferentes fontes dados, de forma simples e flexível, o que torna o processo de concessão de crédito mais eficiente. Para mais informações, acesse nossa página sobre motores de decisão.