Reunimos algumas dicas dos consultores de negócios da Serasa Experian baseadas em experiência de mercado para mostrar as principais dores que indicam que está na hora da sua empresa automatizar o processo de tomada de decisão de crédito:

1 – Tempo de análise

Quando a empresa não possui processos automatizados, tudo é realizado de forma manual e o analista é quem faz a avaliação e define se concede ou não o crédito. Esse método pode ser demorado, já que se avalia proposta por proposta e não há um padrão a ser seguido.

Com a automatização, existe uma esteira de decisão com uma série de análises pré-definidas realizadas em tempo real, o que dá agilidade ao processo de forma segura.

2 – Duplicidade de consultas

Na análise em que não há um controle para evitar a duplicidade de consultas é comum realizar verificações sobre o mesmo documento em um curto espaço de tempo, pois não se tem registros. Com a automatização, é possível armazenar a informação por um período e reaproveitá-la, sem perder a sua qualidade.

Isso traz eficiência financeira, porque não é feito o pagamento de uma análise de um documento que já foi avaliado. Também ajuda a evitar tentativas de análises serem burladas, porque se tem documentado o que foi pesquisado.

3 – Solicitação de informações no processo de análise

Para uma análise de crédito manual, normalmente são solicitadas uma série de informações ao cliente, mas nem sempre elas são utilizadas na avaliação. Isso acaba demandando tempo tanto das empresas que pedem os documentos quanto dos clientes que precisam enviá-los.

Muitas informações requeridas na análise manual acabam sendo só para fins de registro e existem algumas, inclusive, que não são importantes ou confiáveis para a avaliação de concessão de crédito. Se a empresa tem um motor de decisão, são necessários apenas dados relevantes para fazer uma boa análise de crédito.

4 – Padronização do processo

É certo que um analista de crédito mais experiente consegue ser mais preciso, porém isso vai depender muito da vivência profissional de cada um, o que pode levar para um olhar mais pessoal da avaliação. Com um motor de crédito, todas as análises são realizadas seguindo o mesmo padrão e têm sempre a mesma visão, o que traz segurança à operação.

5 – Definição e documentação de políticas

Se um profissional tem todos os processos na cabeça e nunca os documentou, quando ele sair da empresa, não existirá mais governança, por exemplo. Essa costuma ser uma realidade em empresas de pequeno porte ou em algumas empresas médias e grandes que não têm processos automatizados ou documentados, seja porque cresceram muito rápido ou por falta de maturidade.

O motor de decisão de crédito tem uma parte de governança e de documentação, então há rastreabilidade de todo o processo. É possível saber as informações utilizadas para uma determinada análise e por que ela foi aprovada ou reprovada, pois fica tudo registrado.

Consultoria de Negócios

Quem quer implementar uma plataforma de decisão pode contratar uma consultoria de negócios antes para ajudar a entender as necessidades da empresa e quais as melhores práticas de mercado para análise de concessão de crédito.

A Consultoria de Negócios focada em motores de decisão da Serasa Experian consegue trazer uma visão adicional para as empresas. São apresentadas alternativas de análises que, às vezes, não foram consideradas ainda por que as empresas não as conhece. Por exemplo, atualmente podem ser utilizadas nas plataformas de decisão de crédito informações do Cadastro Positivo.

O diferencial da consultoria de negócios da Serasa Experian é a experiência, pois a equipe sabe como cada segmento trabalha e que a análise de risco é diferente para cada um.

Os consultores mostram por meio de números como a inadimplência pode cair ou aumentar de acordo com simulações feitas com a própria carteira de clientes da empresa.

Conte com o apoio dos consultores da Serasa Experian e de nossas plataformas para melhorar e automatizar o seu processo de análise de crédito. Para mais informações, acesse nossa página sobre motores de decisão.