O momento de avaliar e conceder crédito, seja para pessoas ou para outras empresas, é crucial. Com cautela, é possível vender bem, prevenir riscos e, inclusive, preparar o caminho para negócios futuros. Mas para que isso aconteça, os gestores devem estar atentos a uma série de boas práticas que tornam as análises mais precisas e impactam todo o ciclo de crédito.

No primeiro semestre de 2020, o volume de dívidas de empresas inadimplentes cresceu 7,18% com o mesmo período de 2019. Para 2021, a expectativa é de retomada gradual da economia. E como conceder crédito seguro neste cenário? A resposta está na análise de crédito e no cruzamento de informações que permitam elaborar uma política adequada para cada negócio.

Análise: a base de uma política de crédito segura

A análise de crédito apurada possibilita que as empresas credoras façam negociações precisas, bem direcionadas e eficazes. Nesta etapa, contar com menos informações sobre quem solicita o crédito pode resultar em decisões menos embasadas e que geram alto risco de inadimplência. Além disso, implica em mais gastos futuros com cobrança e recuperação de dívidas.

Ter informações estratégicas e consolidadas sempre disponíveis permite que os gestores saibam qual o crédito certo a conceder para cada empresa.

Colete e combine informações para ter análises mais poderosas

Além de reunir dados cadastrais, histórico de pagamento e informações sobre quem são os sócios da empresa cliente, ter uma estimativade quem solicita o crédito possibilita enxergar melhor a situação daquela empresa e quais valores, limites e condições necessários para fechar negócio, bem como sua capacidade de assumir compromissos.

Na prática, como acontece?

Digamos que uma empresa atacadista e distribuidora localizada no interior de Goiás, por exemplo, atenda a uma grande carteira de pequenos e médios clientes, como supermercados regionais. A empresa atacadista quer lançar uma linha de crédito especial para novos revendedores, ganhando maior capilaridade e relevância na região. Nem todos os clientes estão ativos em seus registros e, por isso, será preciso buscar mais informações para decidir sobre limites de crédito, valores mínimos para compra e prazos para pagamento das parcelas.

Com as informações sobre o faturamento dos seus clientes ativos e inativos, a empresa atacadista pode categorizar esses clientes e promover ofertas customizadas de acordo com cada perfil, inclusive revelando novas oportunidades que não pareciam disponíveis em uma análise menos refinada.

Esse procedimento é crucial para manter a saúde financeira dos negócios: reduz incertezas, estreita o relacionamento com os clientes e ainda alimenta a área de crédito com um fluxo de informações que permite aperfeiçoar e evoluir a política de crédito de modo constante. Quanto maior o acesso a dados e análises sobre clientes e mercado, mais as empresas apuram suas ações: traçam novas metas e táticas para alcançá-las e mantêm-se competitivas.

Conheça as nossas soluções para avaliar empresas que vão ajudar você a tomar decisões com maior segurança para gerar mais negócios com menos risco de inadimplência!