Experian divulga resultados financeiros do primeiro semestre do ano fiscal

Experian divulga resultados financeiros do primeiro semestre do ano fiscal

  • Pesquisa
  • Publicada em 13/11/2019
  • Tempo de leitura: 4 minuto(s)

América Latina é destaque e entrega crescimento de receita de dois dígitos. Preparação para o Cadastro Positivo no Brasil também ganha reconhecimento global

Londres, 13 de novembro de 2019 – A Experian plc, empresa global de serviços de informação, divulgou seu relatório financeiro semestral referente ao período de 1 de abril de 2019 a 30 de setembro de 2019. Veja aqui os resultados.

Brian Cassin, Chief Executive Officer, comentou:

“Começamos bem o ano. O crescimento da receita orgânica no primeiro semestre foi de 7%, com aceleração no segundo trimestre. Isso reflete uma execução bem-sucedida em grandes oportunidades de mercado, a implantação global de nossas plataformas inovadoras e um momento notável nos Serviços ao Consumidor, à medida em que investimos no Experian Boost.”

“Agora esperamos um crescimento anual da receita orgânica na faixa de 7-8%, no topo de nossa expectativa prévia. Continuamos buscando um crescimento do EBIT igual ou superior ao crescimento da receita e forte alta no lucro por ação, tudo em moeda constante. Para todo o ano, esperamos uma conversão de caixa operacional da ordem de 90%.”

2019

US$m

20182

US$m

Crescimento Actual rates (%) Crescimento

Constant rates (%)

Crescimento orgânico3

(%)

Benchmark1
Receita – atividades em andamento 2,495 2,361 6 8 7
Receita 2,495 2,361 6 8 n/a
Benchmark EBIT – atividades em andamento4 670 647 4 6 n/a
Total Benchmark EBIT 670 647 3 5 n/a
Benchmark EPS USc 49.1 USc 48.7 1 3 n/a
Estatutário
Receita 2,495 2,364 6 8 n/a
Lucro Operacional 556 580 (4) n/a n/a
Lucro antes dos impostos 480 470 2 n/a n/a
EPS básico USc 39.0 USc 35.3 10 n/a n/a
Total Dividendos USc 14.5 USc 14.0 4 n/a n/a

1Veja o Apêndice 1 (página 13) do relatório financeiro e a nota 6 das demonstrações financeiras (páginas 25-26) para definições dos cálculos.
2Cálculos de Benchmark estão corrigidos para atividades comerciais encerradas que compreendem certas empresas B2B.
3Crescimento de receita orgânica a taxas de câmbio constantes.
4Veja página 13 do relatório financeiro para reconciliação de Benchmark EBIT das atividades em andamento e do lucro antes dos impostos.

Forte desempenho no primeiro semestre:

  1. Crescimento de receita orgânica de 7% no segundo trimestre e 7% no primeiro semestre.
  2. Crescimento de 6% da receita orgânica da operação B2B.
  3. Crescimento de 11% da receita orgânica da unidade de Serviços ao Consumidor com acelerado avanço no novo portfólio de produtos.
  4. Crescimento do Benchmark EBIT (atividades em andamento) de 6% em moeda constante.
  5. Margem de Benchmark EBIT de 26.9%, representando uma queda de 50 pontos tanto em moeda constante como em taxa de câmbio real, já incluindo os custos de lançamento do Experian Boost.
  6. Crescimento de 3% do Benchmark EPS em moeda constante.

 

Destaques operacionais:

  1. Aceleração dos players globais de inovação do B2B. Ascend, Experian One, open banking (Trusso e Verdus) e CrossCore todos progrediram fortemente no semestre, além de um avanço excepcional do Experian Boost, quadruplicando as receitas em CreditMatch.
  2. Bom momento na América do Norte, à medida em que as inovações no segmento corporativo (B2B) se consolidam e atingimos crescimento de dois dígitos em Serviços ao Consumidor.
  3. Crescimento de dois dígitos da receita orgânica na América Latina; preparação para o Cadastro Positivo.
  4. Geração de escala em audiência, à medida que atingimos 70 milhões de consumidores com soluções gratuitas em nossos três mercados principais, acima dos 45 milhões no ano passado.
  5. Avanço significativo do Experian Boost, conectando as contas bancárias de cerca de dois milhões de consumidores dos Estados Unidos.Investimentos de US$ 437 milhões em aquisições, incluindo Compuscan, e investimentos minoritários.

 

Compromisso contínuo com o retorno aos acionistas e alocação disciplinada de capital:

  1. Alta de 4% no primeiro dividendo provisório, chegando a 14.5 Centavos de Dólar por ação ordinária.
  2. Conclusão do programa de recompra de US$ 181 milhões em ações até 8 de novembro de 2019, dos quais U $ 137 milhões ocorreram no primeiro semestre.