Serasa Experian

Atividade do comércio abre 2019 em alta puxada por crédito e confiança, revela Serasa Experian

São Paulo, 19 de fevereiro de 2019 – De acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, o movimento dos consumidores nas lojas de todo o país cresceu 0,9% em janeiro/19, já efetuados os devidos ajustes sazonais. Quando comparado com o mesmo mês do ano passado, houve alta de 9,5%.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a atividade varejista do primeiro mês de 2019 foi marcada pelo desempenho positivo em setores onde crédito e confiança desempenham um papel importante: material de construção e veículos, motos e peças. Já os segmentos mais dependentes da renda e do emprego, ainda exibiram variações negativas.

Os segmentos de material de construção (alta de 1,7%) e o de veículos, motos e peças (crescimento de 0,5%), foram os destaques positivos do movimento do varejo em janeiro/19. Por outro lado, os demais segmentos apresentaram quedas: supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (-1,4%); móveis, eletroeletrônicos e informática (-2,3%), combustíveis e lubrificantes (-1,8%); tecidos vestuário, calçados e acessórios (-5,4%)

Também na comparação com janeiro de 2018, as altas se concentraram nos mesmos dois segmentos: material de construção (12,3%) e veículos, motos e peças (8,3%). Os demais registraram recuos: supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (-4,2%); móveis, eletroeletrônicos e informática (-6,1%), combustíveis e lubrificantes (-0,1%); tecidos vestuário, calçados e acessórios (-5,2%).

A série histórica deste indicador está disponível em

https://www.serasaexperian.com.br/amplie-seus-conhecimentos/indicadores-economicos

Metodologia do Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio é construído, exclusivamente, pelo volume de consultas mensais realizadas por estabelecimentos comerciais à base de dados da Serasa Experian. As consultas (nas formas de taxas de crescimentos) são tratadas estatisticamente pelo método das médias aparadas com corte de 20% nas extremidades superiores e inferiores. Com as taxas de crescimento tratadas e ponderadas pelo volume de consultas de cada empresa comercial é construída a série do indicador. A amostra é composta de cerca de 6.000 empresas comerciais e o indicador, com início em janeiro de 2000, é segmentado em seis ramos de atividade comercial.