5 indicadores de desempenho para o MEI e PME
por Serasa Experian

O que você deseja alcançar com sua empresa? A resposta é simples: sucesso!

Já quando a pergunta é sobre o que você faria para alcançar este sucesso, a resposta é muito mais complexa, principalmente se você for um microempreendedor e estiver iniciando a operação.

5 indicadores de desempenho para o MEI e PME

Afinal, o resultado não depende apenas do seu desejo e, sim, de um conjunto de iniciativas que precisam estar muito bem planejadas e organizadas internas.

Contar com o uso de indicadores de desempenho para acompanhar a execução do seu planejamento de negócio é uma estratégia fundamental.

Veja a seguir os cinco indicadores de desempenho selecionados pela Serasa Experian para ajudar o MEI (Microempreendedor individual) e PME (Pequenas e Médias Empresas).

1- Faturamento

Ele é a soma de todas as vendas da sua empresa. Porém, mais do que estimar o faturamento, ele é importante para saber a média de dinheiro que entrou na empresa em um período de tempo.
Como questão jurídica, este indicador traz o quanto de impostos você irá pagar e, a partir disso, em qual ramo de atividade empresarial você se encaixa.

2 – Recebimento – Consulta de CPF e CNPJ

É importante saber que o recebimento é diferente de faturamento. Você pode faturar em um mês e só receber no outro. Para prevenir a inadimplência, que pode acontecer em todas as áreas, o ideal é consultar o CPF ou CNPJ de seus clientes.

Caso ela já tenha ocorrido, você pode optar pelo envio da Carta de Cobrança, como forma de melhorar este indicador.

Consulta de CPF e CNPJ

3 – Ticket Médio

Entender o ticket médio de suas vendas pode trazer ideias e mostrar novos caminhos para o seu negócio.

Já pensou em medir o ticket médio dos seus vendedores como um indicador de performance? Esta é uma dica valiosa para mensurar o desempenho de cada um dos seus vendedores.

A medição em ambos os casos é bem simples. Basta dividir o volume de vendas de um determinado período (dia, semana, mês ou ano), pelo número de Notas Fiscais emitidas no mesmo período.

Por exemplo, em um dia sua empresa faturou R$ 100,00 e emitiu 80 Notas Fiscais, dividindo R$ 100,00 por 80, você teria um ticket médio de R$ 1,25.

4 – Serviço de Entregas

Um ponto importante que todo empreendedor deve ter em mente, principalmente se estiver iniciando seu negócio, é que independente do seu segmento, você sempre estará fadado a um serviço de entrega.

O que isso quer dizer? Mesmo que seu negócio não seja um e-commerce ou delivery, você precisará entregar o produto/serviço para seu cliente. Por isso, controlar o estoque ou o desenvolvimento do serviço é primordial.

Este controle é necessário para o bom andamento das suas vendas e deve ser otimizado ao máximo. Produtos e serviços indisponíveis, significam vendas não realizadas.

5 – ROI – Retorno do Investimento

O caminho está certo? Você está tendo o retorno desejado do seu investimento?

Medir o ROI (Retorno sobre o Investimento) é outra métrica extremamente simples e que pode trazer benefícios significativos para sua empresa.

Veja abaixo como é simples calcular:

ROI = (Receita – Investimento inicial) / Investimento inicial

Digamos que você teve uma receita de R$ 1.000,00, mas investiu R$ 100,00.

Aplicando a fórmula acima (R$ 1.000,00 – R$ 100,00) / R$ 100,00 = 9

Significa que você teve um retorno 9 vezes maior do que o investimento inicial. Agora digamos que você queira apresentar isso em forma percentual, basta multiplicar o resultado do ROI por 100, no exemplo acima teríamos um ROI percentual ou lucro de 900%.

Ao medir o ROI, não se esqueça de contar os custos envolvidos na produção de seu produto ou serviço oferecido.
Embasar suas decisões em  indicadores é uma forma mais inteligente de tocar sua empresa.

 

Veja também